Destaques
....Em atualização

Pedro Correia faz o balanço de 2013

Com 2013 a chegar ao término, é tempo de fazer o balanço e é isso mesmo que Pedro Correia fez ao site oficial do Leixões SC. 
O técnico fala no ano centrando-se principalmente na primeira parte da presente temporada.

Está satisfeito com a produção do Leixões durante o ano de 2013 e, em particular, da primeira metade da época de 2013/14? 
Pedro Correia – Apesar de as coisas poderem ter corrido e poderem estar a correr melhor, tenho de estar satisfeito. Ainda falta realizar um jogo, mas o ano de 2013 foi muito intenso, pois já fizemos um total de 52 jogos e ganhámos mais de metade deles (28 triunfos e 10 empates). Acabámos a última época num brilhante 3.º lugar na Liga e na presente estamos a superar os objectivos em todas as provas: estamos nos oitavos-de-final da Taça de Portugal, na 3.ª fase da Taça da Liga e no campeonato ocupamos uma posição bem longe dos lugares perigosos e perto das posições cimeiras. Estar em todas as três frentes na viragem do ano é algo inédito na história do clube. É claro que estamos desiludidos com os dois últimos resultados e que sabemos que podíamos estar um pouco mais acima, mas a densidade de jogos que temos de cumprir leva-nos a algumas oscilações. É sobre isso que temos de lutar forte, de forma a evitar estas fases negativas, porque, apesar de os objectivos desportivos passarem por alcançar a manutenção o mais rápido possível, queremos batalhar por posições de destaque.


Mas não deve ser fácil gerir um grupo curto com tantos jogos, pois não? 
Não se trata de ser fácil ou não, mas é notório que com uma elevada densidade de jogos, por vezes, existe alguma fadiga mental que pode provocar oscilações de rendimento individual que se refletem no coletivo. Só esta época, desde o final de Julho, já disputámos 30 jogos oficiais, o que há alguns anos significava uma época inteira para a maioria das equipas. Existem jogadores que já realizaram mais jogos nesta primeira metade da época do que em toda a época anterior. Destes 30 ganhámos 16 deles, empatámos 5 e perdemos 9. Mesmo sendo bom, podia ser bem melhor. Bastava termos sido mais competentes em 4 ou 5 jogos do campeonato e estaríamos a realizar uma temporada perfeita e muito acima das expectativas iniciais. Porque nas taças temos sido exemplares: em 8 jogos ganhámos 7 e perdemos apenas 1.

Tem cumprido com todos os objectivos que lhe pediram? 
Penso que sim. Em termos desportivos, como já disse, queríamos estar ainda melhor. A nível de jogadores, temos cumprido plenamente com aquilo que está projectado: dignificar sempre o nome do Leixões, valorizar os jogadores da casa, concluir a sua formação e lançá-los na alta competição. Na última época, para dar exemplos, tivemos três jogadores da formação do Leixões que passaram para outros patamares e que renderam dinheiro ao clube. Falo do Patrão, do Sequeira e do Luís Silva. Esta época já lançámos o Anderson, o Chastre, o Pedro Pinto, o Pedro Tavares, o Rui Cardoso, que também são miúdos provenientes das nossas escolas, e temos no plantel vários jogadores da formação e não só que se estão a projetar. É por aí que temos de trabalhar. Não temos dinheiro para comprar jogadores, por isso o projeto do Leixões tem de passar por formar e potenciar os nossos jogadores ou então descobri-los nas divisões inferiores. É preciso ter sempre em conta todos os problemas com que vivemos diariamente. A Administração da SAD luta arduamente para ultrapassar as dificuldades, para manter o Leixões vivo, e faz muitos sacrifícios que a maior parte das pessoas nem imagina. Quem está de fora dificilmente percebe isso. É por isso que digo que estamos a cumprir os objectivos, em termos gerais, não só de equipa. 


Em época de Natal, gostaria de receber alguma prenda? 
A principal prenda é conseguirmos tornar este grupo cada vez mais forte, pois neste momento actual as prendas não se dão, conquistam-se. Vamos continuar a trabalhar com o que temos e tentar melhorar a nossa produção. Por exemplo, o Moedas, o Álvaro e o Talles estão quase recuperados das lesões que tiveram e podem ser os nossos reforços para a segunda metade da época. Tenho muito orgulho nos jogadores com que trabalho e acredito muito nesta equipa. 

O que pode dizer aos fiéis adeptos do Leixões, sempre ávidos de bons resultados? 
Posso dizer-lhes que vamos trabalhar para dignificar um emblema que já conta 106 anos de vida e para lhes poder dar muitas alegrias. O objectivo é dar continuidade a 2013 e, se possível, superar as expetativas em 2014. Como disse no final do jogo da Feira, quero agradecer-lhes por todo o esforço que têm feito (tanto em termos financeiros como pessoais e familiares) para acompanhar a equipa por todos os campos do país. O Leixões é a equipa da Liga 2 Cabovisão que mais adeptos desloca quando joga fora de Matosinhos, o que demonstra a nossa grandeza. Nesta altura do ano, quero é que tenham um Natal muito feliz, junto das suas famílias, e com muita saúde. Do fundo do coração é isso que lhes desejo. Aproveito ainda para estender estes votos a todas as pessoas que trabalham no Leixões: à Administração da SAD, aos meus companheiros da equipa técnica, aos meus jogadores e a todos os funcionários e colaboradores que diariamente trabalham com o futebol profissional. 
Bom Natal e Feliz Ano Novo para todos.
Partilha no Google +

About Hugo M Alves

---.
    Blogger Comment
    Facebook Comment