Destaques
....Em atualização

Pedro Correia - Os "adeptos tal como nós, querem ganhar"

Depois da derrota diante do Covilhã, Pedro Correia já fez a abordagem ao jogo de domingo, dia 13 de janeiro, diante do Marítimo "B" naquele que será o jogo inaugural da 2.ª ronda da Segunda Liga 2012/13. 
Ao site oficial do clube, o técnico do Leixões SC faz o balanço da primeira volta do campeonato e aborda já a segunda que começa domingo com deslocação à Madeira para defrontar o Marítimo "B".

LSC – Este domingo arranca a segunda volta do campeonato. Que balanço faz até ao momento? 
Pedro Correia – Faço um balanço que tem de ser positivo. Estamos dentro da média pontual dos últimos dois anos. E os 27 pontos somados até ao momento traduzem resultados acima das expectativas que existiam em Julho/Agosto. É preciso ver que não fizemos pré-época, o que tem originado algumas lesões e alguma oscilação de rendimento, e o plantel foi construído com o orçamento mais baixo, pelo menos, dos últimos 15 anos à base de jovens ex-juniores e de jogadores que vinham da 2.ª Divisão. Quase todos esses jogadores já fizeram este ano mais jogos e minutos do que em toda a época passada. Para além do plantel, a estrutura que existe em torno do grupo é muito curta, embora muito dedicada e profissional. Fazem muitos sacrifícios para que tudo corra bem e merecem todos os elogios. Um dos segredos para que os objectivos estejam a ser cumpridos é a extraordinária união que existe entre todos os departamentos do Leixões. Urge que a sociedade matosinhense em geral, onde se incluem os adeptos e simpatizantes, tenha consciência da necessidade de se unir à volta da equipa, pois só assim poderemos ultrapassar todas as dificuldades com que nos vamos deparar. Este é um momento em que é muito importante não desestabilizar. 

Como perspectiva o resto da temporada? 
Se não desestabilizarem o grupo, vamos atingir as metas propostas. Temos um grupo de jogadores que vale ouro e a muita experiência de alguns vai ser muito importante nesta fase decisiva da época. Mas há que ter consciência de que a segunda volta vai ser muito complicada. Só com muita união, empenho e dedicação vamos conseguir superar todas as dificuldades. O Clube e a estrutura passam actualmente por momentos muito difíceis e se não houver solidariedade e união total, dentro e fora do relvado, nada se consegue.  

Não teme que se comece a notar algum desgaste com o elevado número de jogos? 
Estou convicto que não. Apesar de, esta época, já contabilizarmos 28 jogos oficiais, ou seja quase todo o campeonato anterior e quase o total de jogos da última época (38). É natural que se note aqui e ali alguma oscilação, porque vamos fazer um total de 49 jogos até Maio. Há que ter plena consciência disso. Em especial na massa associativa, cujo apoio vai ser fundamental em determinados momentos, porque só com muito apoio é que esta equipa vai continuar a render aquilo que esperamos. No entanto, não quero deixar de agradecer a todos aqueles que também têm feito muitos sacrifícios para estar ao lado da equipa quer no Estádio do Mar quer por esse país fora. Independentemente dos resultados têm tido uma atitude exemplar e de apoio constante, porque, apesar de exigentes, são adeptos que, tal como nós, querem ganhar.  

A segunda volta abre com uma deslocação à Madeira. Qual o espírito para o embate com o Marítimo B? 
O ponto principal passa por termos noção de que faltam 21 jogos e 23 pontos para atingirmos a tranquilidade absoluta. Não tenho quaisquer dúvidas de que o vamos conseguir, começando já pelo jogo com o Marítimo, que queremos vencer para iniciarmos da melhor forma a segunda metade do campeonato.
Partilha no Google +

About Hugo M Alves

---.
    Blogger Comment
    Facebook Comment