Destaques
....Em atualização

Portimonense vence Leixões por 3-0

Ditou o calendário que à 31.ª jornada da Liga2 Cabovisão o Leixões SC se deslocasse ao Algarve para, em Portimão, defrontar o Portimonense SC. Depois do jogo polémico da primeira volta (terminou empatado a 3-3) com o árbitro a ser o protagonista do encontro, a equipa leixonense começou melhor o jogo da tarde deste domingo. Xavier, aos 5’, rematou ao lado da baliza de Ricardo Ferreira e o Portimonense respondeu pouco tempo depois por intermédio de Juninho.
Aos 34’ o Portimonense adiantar-se-ia no marcador através de Fernandinho. Jogada de ataque do Portimonense a surgir quando o jogo estava dividido a meio campo. Aos 37’ e 41’ Chastre viria a negar por duas vezes que a formação da casa ampliasse o marcador: primeiro defende cabeceamento de Ivo Nicolau e depois parou remate de Dyego Sousa.
Aos 42’ Chastre, novamente em grande, evitou o golo de Wakaso ao desviar um remate de uma bola que viria a sair por cima da baliza.
Após o intervalo o Portimonense regressou com a ambição de dilatar o resultado. Já o Leixões viria a lavar perigo junto da baliza do Portimonense à passagem dos 51’ mas o lance terminou em pontapé de baliza para a equipa algarvia. O Portimonense respondeu e, aos 52’, numa jogada combinada entre Zambujo e Juninho quase que dava o segundo para os a casa. Valeu, uma vez mais, Chastre, a evitar que a equipa da casa ampliasse a vantagem.
Aos 57’ Pedro Correia lançou Van Zeller que fez a sua estreia pela equipa matosinhense e um minuto depois, aos 58’, Anderson foi expulso por acumulação de amarelos após ter travado Juninho passando a partir daí a jogar com menos um homem em campo.
A tarefa dificultava-se e, apesar de haver um Leixões mais subido no terreno, o Portimonense dilatou a vantagem aos 69’. Jogada pela direita com Dyego a enviar para Mazola e este a colocar a bola no fundo da baliza de Chastre.
Num minuto Nuno Silva viu dois cartões amarelos e no segundo (mão na bola no entender o árbitro) o capitão leixonense provocou uma grande penalidade que Dyego Sousa, chamado a converter, coloca a equipa da casa a vencer por 3-0.
Até ao apito final, apesar do muito trabalho da equipa leixonense, o Portimonense acaba por vencer o encontro que fica marcado pelos cartões vermelhos mostrados a Anderson e Nuno Silva.
Na próxima jornada o Leixões volta a Matosinhos para jogar contra o Atlético num encontro em que as mulheres não pagam para assistir ao jogo marcado para o próximo domingo pelas 15h00. 

Estádio Municipal de Portimão 
Árbitro: Manuel Mota (AF Braga) 

Leixões SC: Chastre, Nuno Silva, Huguinho, Hugo Guedes, Moreira (Van Zeller, 56’), Anderson, Materazzi, Tiago Lenho, Pedras (Mailo, 61’ e Pedro Pinto, 78'), Oto’o e Xavier 
Treinador: Pedro Correia 

Disciplina: Cartão amarelo a Anderson (48’ e 58’), Xavier (59’), Tiago Lenho (64’), Nuno Silva (74' e 74') Cartão vermelho a Anderson por acumulação (58’), Nuno Silva por acumulação (74')

Conferência de imprensa: 
“Na primeira parte não entramos de acordo com o que pretendíamos.Não conseguimos fazer as saídas de bola conforme tínhamos trabalhado. Acabamos por sofrer o golo um pouco pela passividade em termos defensivos. Tivemos uma ou duas oportunidades na primeira metade. Na segunda parte o jogo acabou cedo e por isso não há muito a dizer em relação à segunda parte. Rapidamente foi feito o resultado. Os primeiros dois lances da segunda parte definem o que foi o jogo: um livre que dá amarelo ao Anderson e um canto em que a bola não sai. Quando nós tentávamos ter alguma reação, acabou o jogo. Não faço leituras em relação à grande penalidade. Não sou árbitro. No final o Portimonense para nós venceu. Não faço comentários em relação à equipa de arbitragem.” 
Pedro Correia, treinador do Leixões SC
Partilha no Google +

About Hugo M Alves

---.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 desabafos :

Anónimo disse...

não vale a pena andares a publicar estas notícias, já tamos fartos de derrotas, publica lá algum artigo de opinião de ilustres leixonenses a dizerem o que pensam sobre esta VERGONHA, pode ser que toda a corja que está no LSC se vá embora