Destaques
....Em atualização

Peixe na Lata é a campanha de solidariedade

Caro sócio ou simpatizante do Leixões Sport Club, permita-nos um momento de atenção para o assunto que nos traz até si. Nestes momentos conturbados que atravessamos, são cada vez mais os portugueses mergulhados num ambiente de carência enorme. 
Neste contexto, o Leixões Sport Club, assumindo o seu papel de responsabilidade social na comunidade onde está inserido, associou-se à Cruz Vermelha Portuguesa, no sentido de levar a efeito o programa "Peixe na Lata". Este programa tem como objectivo a recolha de bens alimentares junto da sociedade, individual e colectiva, nomeadamente a recolha de peixes enlatados em conserva. 
Segundo a Cruz Vermelha Portuguesa, estes são os alimentos que mais fazem falta e os que mais procurados são por todos aqueles que precisam de ajuda. Assim, no próximo jogo da Liga Orangina Leixões-Estoril, a realizar no Estádio do Mar, no próximo fim-de-semana, será implementado um programa da recolha destes alimentos. 
Junto às portas de acesso ao Estádio, teremos vários pontos de recolha, atribuindo a um simples jogo de futebol a sua vertente mais social e solidária, que tão bons resultados têm dado nos últimos tempos. Estamos a convidar várias empresas do sector conserveiro, quer grandes quer pequenas superfícies comerciais, a ajudar esta causa. Porque pretendemos fazer deste jogo uma grande festa solidária, para o intervalo do jogo estamos a preparar um grandioso agradecimento público a todos aqueles que contribuírem para esta causa. 
No passado dia 26 de Abril, seguiu uma circular para todos os dirigentes informarem as suas equipas técnicas e atletas para que também venham ver o jogo (oferecemos os bilhetes) e para que tragam uma ou mais latas de conserva. As latas de conserva podem ser qualquer tipo de peixe (atum, cavala, sardinha, lulas, polvo, etc). Qualquer pessoa pode trazer a quantidade de latas que quiser. 

GAF - Gabinete de apoio às famílias 
O Gabinete de Apoio à Família e à Comunidade têm por finalidade promover a inclusão social dos cidadãos, de forma multissectorial e integrada através de acções em parceria, de forma a combater a pobreza persistente e a exclusão social. 
Na presente data acompanha 143 famílias em situação de carência extrema, nomeadamente no que diz respeito à satisfação das suas necessidades básicas, nomeadamente na alimentação. Estas famílias abrangem um universo de 360 indivíduos, dos quais 117 são crianças com menos de 15 anos de idade. 
O programa de Apoio Alimentar é uma resposta social, desenvolvida através de um serviço, que proporciona a distribuição de géneros alimentícios, pela atribuição mensal de um cabaz de alimentos. Pretende-se com esta acção melhorar a qualidade de vida das famílias mais vulneráveis, bem como acompanhar situações de desemprego, doença, isolamento, solidão, etc. 
O Gabinete funciona como espaço aberto à Comunidade, onde qualquer situação de vulnerabilidade é acolhida, ouvida, acompanhada, tentando definir-se com a família uma estratégia para se resolver a sua problemática. Cada família tem instaurado um processo de acompanhamento sendo feito um trabalho muito individualizado e especifico com os elementos do agregado. Este trabalho envolve uma relação de grande proximidade entre a Delegação e a família, de uma relação empática e de enorme cumplicidade entre as partes. Tenta-se delinear um projecto de vida futuro. Numa primeira fase, efectua-se o diagnóstico e apoiam-se as famílias em alimentos, para posteriormente se irem definindo, em articulação com as famílias, outros patamares da intervenção. 
O Cabaz atribuído é composto por bens de primeira necessidade como sejam: leite, arroz, massa, óleo/azeite, cereais, farinha, açúcar, feijão, grão, enlatados, conservas e iogurtes. Grande parte destes produtos são cedidos pelo Banco Alimentar, todavia, nos últimos meses tem sido muito difícil atribuir os alimentos às famílias por esta entidade ter reduzido as entregas. Necessitamos, contudo, de continuar a acompanhar e a apoiar estas famílias, sendo necessário um esforço conjunto que nos permita chegar a quem por vezes nada tem para alimentar as suas crianças. São vários os casos de menores que dependem desta Delegação para poder ter um pequeno-almoço antes de ir para a escola ou de uma refeição quente antes de irem dormir. Com um pequeno esforço de todos, conseguiremos certamente chegar a muitos. 

Outros dados relativos ao Gabinete: 
  • 93% Destas famílias são portuguesas, sendo apoiadas 7% de famílias de outras nacionalidades; 
  • 50% das famílias têm mais de 50 anos; 
  • 25 % das pessoas têm mais de 60 anos de idade, sendo possível verificar que o Gabinete também acompanha uma população mais envelhecida e sem recursos; 
  • 75% da população acompanhada apresenta um rendimento per capita inferior a 5€/dia; 
  • 41% têm um rendimento inferior a 3€/dia; 
  • 52% desta população apoiada encontra-se em situação de desemprego. 


Quanto à localização dos Agregados apoiados, existe uma clara concentração em algumas freguesias nomeadamente em Cedofeita, Paranhos, Lordelo do Ouro, Ramalde e Campanhã. No primeiro trimestre de 2012 foram entregues pelo Gabinete 453 cabazes de alimentos.
LSC
Partilha no Google +

About Hugo M Alves

---.
    Blogger Comment
    Facebook Comment